Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10437/9349
Título: Vitimação indireta na infância, violência prisional e psicopatologia: um estudo com a população reclusa em Portugal
Autores: Dias, Ana Rita Conde, orient.
Vieira, Ana Rita Brito Santos Sousa
Palavras-chave: MESTRADO EM PSICOLOGIA DA JUSTIÇA
PSICOLOGIA
VITIMAÇÃO
RECLUSOS
INFÂNCIA
VIOLÊNCIA
VICTIMISATION
INMATES
CHILDHOOD
VIOLENCE
Data: 2018
Resumo: O presente estudo pretende caracterizar as experiências de vitimação indireta na infância, as experiências de violência (vitimação e perpretação) no contexto prisional, o estado psicológico dos reclusos, homens e mulheres, e analisar se estas variáveis estão ou não interligadas. Para esse efeito, recolheu-se uma amostra de 394 participantes em situação de reclusão em vários Estabelecimentos Prisionais da Região Norte. Neste estudo, foram aplicados como instrumentos um questionário sociodemográfico e criminal, o Questionário de História de Adversidade na Infância (ACE) e, o Inventário de Sintomas Psicopatológicos (BSI). Os resultados demonstraram que 130 reclusos relatam ter pais separados ou divorciados, 119 vivenciaram algum tipo de violência doméstica, 84 habitaram com alguém com problemas de abuso de substâncias, 84 relataram ter habitado com alguém que se suicidou, tentou suicidar-se ou tinha alguma perturbação mental e 106 dos participantes tiveram algum familiar preso. Relativamente às experiências de violência no contexto prisional, 97 dos reclusos referem já ter sofrido algum tipo de violência enquanto que, 68 admitem já ter praticado algum tipo de violência no Estabelecimento Prisional. Verifica-se que os participantes que relataram ter sofrido algum tipo de violência no Estabelecimento Prisional apresentam níveis superiores de Adversidade na Infância quando comparados com os participantes que não sofreram qualquer tipo de violência. O mesmo se aplica aos participantes que relataram ter praticado algum tipo de violência no Estabelecimento Prisional.
The present study aims to characterize the experiences of indirect victimization in childhood, the experiences of violence (victimization and perpetuation) in prison´s context, the psychological condition of prisoners, men and women and to analyse whether these variables are interrelated or not. For this purpose a sample of 394 participants in situation of imprisonment in several Prison Establishments in the North was collected. In this study a sociodemographic and criminal questionnaire, the Childhood Adversity History Questionnaire (ACE) and the Inventory of Psychopathological Symptoms (BSI) were used as tools. The results showed that 130 prisoners referred having separated or divorced parents, 119 experienced some type of domestic violence, 84 lived with someone who had problems with substance, 84 reported having lived with someone who committed suicide, tried suicide or had some mental disturbance and 106 of the participants had a family member who had been arrested. Concerning the experiences of violence in prison´s context, 97 of the prisoners reported having already suffered some type of violence, while 68 admitted having already practiced some type of violence in the Prison´s Establishment. We can see that the participants who reported having suffered some type of violence in Prison have higher levels of Adversity in Childhood compared to the participants who did not suffer any type of violence. The same applies to participants who reported having committed some type of violence in Prison.
Descrição: Orientação: Ana Rita Conde Dias
URI: http://hdl.handle.net/10437/9349
Aparece nas colecções:Biblioteca - Dissertações de Mestrado
Mestrado em Psicologia da Justiça

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario.pdf12.34 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.