Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/9259
Título: Envelhecimento ativo: a relação entre suporte social percebido, bem-estar subjetivo e desempenho cognitivo
Autores: Souto, Maria Teresa Soares, orient.
Bouça, Ana Coelho dos Santos
Palavras-chave: MESTRADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE
PSICOLOGIA
PSICOLOGIA CLÍNICA
ENVELHECIMENTO ATIVO
SUPORTE SOCIAL
BEM-ESTAR SUBJETIVO
COGNIÇÃO
PSYCHOLOGY
CLINICAL PSYCHOLOGY
SOCIAL SUPPORT
ACTIVE AGEING
SUBJECTIVE WELL-BEING
COGNITION
Data: 2018
Resumo: A Organização Mundial de Saúde estima que, em 2050, haverá mais de 2 mil milhões de pessoas com idade superior a 60 anos. Assim, torna-se urgente para a sociedade e os profissionais de saúde promover o envelhecimento ativo. O envelhecimento ativo define-se como processo de otimização de oportunidades para a saúde, a participação cívica e a segurança para a melhoria da qualidade de vida no envelhecimento. Dois aspetos parecem influenciar o processo de envelhecimento ativo: suporte social percebido e bem estar-subjetivo. O suporte social percebido define-se como a perceção da presença e disponibilidade de pessoas nas quais podemos confiar. O bem-estar subjetivo é a avaliação global que a pessoa faz da sua vida e da sua experiência. O objetivo deste trabalho é estudar a relação entre suporte social percebido, bem-estar subjetivo e desempenho cognitivo no envelhecimento ativo. Para o efeito, foi seleccionada uma amostra de 32 pessoas com mais de 65 anos numa universidade sénior. Foram aplicadas a Escala de Satisfação com a Vida para aferir o bem-estar subjetivo, a Escala de Satisfação com o Suporte Social para averiguar o suporte social percebido e as Matrizes Coloridas Progressivas de Raven para testar o desempenho cognitivo. Os resultados demonstram que a idade, as habilitações literárias e o suporte social percebido são preditores do desempenho cognitivo. Podemos verificar que a perceção da qualidade do suporte social é central no processo de envelhecimento ativo. Futuramente, o estudo poderá ser replicado com uma amostra maior e mais heterogénea, incluindo participantes de outras atividades sociais.
World Health Organization (WHO) estimates that in 2050 there will be more than 2 billion people aged over of 60 years old. Thus, it becomes urgent for society and healthcare professionals to promote active aging. WHO defines this concept as the process of developing and maintaining the functional ability that enables well-being in older age. Two factors that seem to influence the ageing process are: perceived social support and subjective well-being. Perceived social support is defined as the perception of someone’s presence, willingness and trust. Subjective well-being is the global assessment that one makes of their lifetime and experience. This study aims to analyze the relationship between perceived social support, subjective well-being and cognitive performance in active ageing. This study involved 32 participants aged over 65 years old, selected at a senior university. Satisfaction with life scale was applied to assess subjective well-being, Escala de Satisfação com o Suporte Social to establish perceived social support and Colored Progressive Matrices to test cognitive performance. Age, literacy and perceived social support were predictors of cognitive performance. Therefore, the perception of quality of the social support seems vital in the process of active aging. For future reference this study can be replicated with a larger and more heterogeneous sample, including participants from other social activities.
Descrição: Orientação: Maria Teresa Soares Souto
URI: http://hdl.handle.net/10437/9259
Aparece nas colecções:BIBLIOTECA - Dissertações de Mestrado
Mestrado Em Psicologia Clínica e da Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario.pdfDissertação de Mestrado12.34 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.