Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/9146
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorPinto, Ricardo José, orient.
dc.contributor.authorGonçalves, Rafaela Diana Ferreira
dc.date.accessioned2018-11-15T13:44:02Z
dc.date.available2018-11-15T13:44:02Z
dc.date.issued2014
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10437/9146
dc.descriptionOrientação: Ricardo Pintopt
dc.description.abstractEsta investigação teve como objetivo avaliar o impacto ao nível da depressão e ansiedade em crianças e jovens em contexto de divórcio e litígio entre os pais. A novidade do estudo prendeu-se com a inclusão da perceção do conflito interparental, bem como outras variáveis associadas à forma de como a criança lida com a adversidade. Pretendemos aumentar o conhecimento dos fatores associados à depressão e ansiedade e explorar se as variáveis associadas à forma de como a criança perceciona e lida com o conflito poderão contribuir para um melhor ajustamento. Pretendemos assim contribuir para o desenvolvimento de programas de prevenção mais diretivos e intencionais de modo a intervir nas causas do desenvolvimento de depressão e ansiedade nestas crianças. Os participantes deste estudo foram crianças e adolescentes, numa faixa etária entre os 8 e os 14 anos (média = 11 anos), de ambos os sexos, que correspondem a dois grupos, nomeadamente o grupo “clínico”, constituído por crianças e adolescentes que foram expostos a situações de conflito parental provocado por divórcio litigioso por parte dos pais; e um grupo de comparação, constituído por crianças e adolescentes sem situação de conflito parental conhecida, nem a passar por um divórcio dos pais. Foram utilizadas três provas psicológicas, nomeadamente a Children’s Depression Inventory (CDI) de Kovacs (1979) para avaliar a depressão, a Children’s Manifest Anxiety Scale – Revised (CMAS-R), de Reynolds & Richmond (1978), para avaliar a ansiedade e a Children’s Perception of Interparental Conflict (CPIC), de Grych, Seid & Fincham (1992), para avaliar a perceção do conflito interparental. Em termos de resultados, verificou-se que todas as variáveis relacionadas com a perceção de conflitos foram associadas à depressão e ansiedade. Para além disso, as crianças e adolescentes, filhos de pais divorciados e em litígio, apresentaram significativamente mais depressão e ansiedade perceção de conflito, comparativamente aos filhos a viver com pais casados e sem litígio conhecido. São discutidas implicações práticas do estudo.pt
dc.description.abstractThis research aimed to evaluate the impact of depression and anxiety in children and adolescents in the context of divorce and dispute between their parents. The novelty of the study is related to the inclusion of the perception of interparental conflict, as well as other variables associated to the way as the child copes with adversity. We intend to increase the understanding of the factors associated with depression and anxiety and to investigate whether the variables associated with the form as the child perceives and copes with conflict may contribute to a better adjustment. We expect thereby contribute to the development of more directed and intentional prevention programs in order to intervene in the causes of development of depression and anxiety in these children. The participants of the study were children and adolescents, including boys and girls, aged 8 to 14 (average=11 years old), that matched to two groups, namely the “clinical” group, consisting of children and adolescents who were exposed to a situation of parental conflict caused by contentious divorce of their parents; and a comparison group, consisting of children without neither a parental conflict situation known nor experiencing a parental divorce. Three psychological tests were performed, including the Children’s Depression Inventory (CDI) by Kovacs (1979) to assess depression; the Children’s Manifest Anxiety Scale – Revised (CMAS-R) by Reynolds & Richmond (1978), to assess anxiety; and Children’s Perception of Interparental Conflict (CPIC), by Grych, Seid & Fincham (1992), to assess the perception of interparental conflict. The results showed that all the variables related to the perception of conflicts have been associated with depression and anxiety. In addition, children and adolescents of divorced parents in dispute have presented more significantly signs of depression and perception of conflict anxiety, compared to children living with married parents and with unknown dispute. The practical implications of the study are discussed.en
dc.formatapplication/pdf
dc.language.isoporpt
dc.rightsclosedAccess
dc.subjectMESTRADO EM PSICOLOGIA FORENSEpt
dc.subjectPSICOLOGIApt
dc.subjectPSICOLOGIA FORENSEpt
dc.subjectDIVÓRCIOpt
dc.subjectCONFLITOS PARENTAISpt
dc.subjectCRIANÇASpt
dc.subjectADOLESCENTESpt
dc.subjectPSYCHOLOGYen
dc.subjectFORENSIC PSYCHOLOGYen
dc.subjectDIVORCEen
dc.subjectPARENTAL CONFLICTSen
dc.subjectCHILDRENen
dc.subjectADOLESCENTSen
dc.titleConsequências psicológicas do conflito parental em crianças e adolescentespt
dc.typemasterThesisen
dc.identifier.tid201404990pt
Aparece nas colecções:BIBLIOTECA - Dissertações de Mestrado
Mestrado em Psicologia Forense

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Temporario02.pdfDissertação de Mestrado53.96 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.