Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10437/7341
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorCosta, António Augusto Teixeira da, orient.
dc.contributor.authorOliveira, Simone da Silva
dc.date.accessioned2016-10-10T10:53:46Z
dc.date.available2016-10-10T10:53:46Z
dc.date.issued2016
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10437/7341
dc.descriptionOrientação : António Augusto Costapt
dc.description.abstractOs hospitais surgiram após o advento do cristianismo as ordens monásticas criaram espaços físicos para assistir aos enfermos, aos velhos e aos desamparados. Essas organizações de saúde configuram-se em instituições complexas, em que convivem projetos políticos bastante diferenciados entre si, influenciando a gestão e organização do trabalho. O presente trabalho se propôs a investigar qual a influência do médico no hospital, analisando suas ações e percepções com relação a gestão de um hospital e o seu nível de influência na organização. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo com abordagem quantitativa e qualitativa. A coleta de dados foi através de questionários semiestruturados aplicados e avaliados entre 23 médicos gestores que atuam no HUPAA, utilizando erro amostral de 5% (α=0,05), caracterizando um nível de confiança de 95%. A partir dos resultados constatou-se que a maioria atua no HU há mais de 15 anos (45%) são do sexo masculino (61%), idade compreendida entre 46 e 60 anos (52%), têm entre 2 e 3 empregos (37%), sendo a maior parte na área pública (82%). Acreditam que o hospital deve ser dirigido por um médico que tenha perfil de liderança e que sua atuação deve ser feita de forma igualitária na área pública e privada (91,3%). Não entendem os processos licitatórios (26%), entendem que são os profissionais mais importantes e diferenciados na organização (61%). Sentem-se clientes do hospital e que sua estrutura, incluindo as pessoas, deve se adaptar às suas necessidades para realizarem suas funções com eficácia, pois convive com situações que exigem o poder de curar e salvar vidas. Portanto, confirmou-se que o hospital é, então, um lugar de confirmação de poderes/saberes, que tem características próprias que o distinguem das demais organizações, além das atividades médicas, resultando em uma estrutura complexa, conflituosa, e que às vezes é marcado por disputas de espaços e egos.pt
dc.description.abstractHospitals emerged after the advent of Christianity the monastic orders created physical spaces to watch the sick, the old and helpless. These health organizations bundle in complex institutions, where political projects coexist quite different from each other, influencing the management and organization of work. This study aimed to investigate the influence of the doctor at the hospital, analyzing their actions and perceptions regarding the management of a hospital and their level of influence in the organization. This is an exploratory-descriptive study with quantitative and qualitative approach. Data collection was through semi-structured questionnaires applied and evaluated among 23 medical managers operating in HUPAA using sampling error of 5% (α = 0.05), indicating a 95% confidence level. From the results it was found that most operates in HU for over 15 years (45%) are male (61%), aged between 46 and 60 years (52%) have between 2 and 3 jobs ( 37%), the majority being in the public area (82%). They believe that the hospital should be directed by a physician who has leadership profile and its performance should be made equally in the private and public sectors (91.3%). Do not understand the bidding process (26%), understand which are the most important professional and differentiated in the organization (61%). Sit hospital customers and their structure, including people, must adapt to their needs to carry out its functions effectively, as lives with situations that require the power to heal and save lives. Therefore, it was confirmed that the hospital is then a place of confirmation of power / knowledge, which has its own characteristics that distinguish it from other organizations, in addition to medical activities, resulting in a complex structure, conflict, and which is sometimes marked by disputes spaces and egos.en
dc.formatapplication/pdf
dc.language.isoporpt
dc.rightsopenAccess
dc.subjectMESTRADO EM GESTÃO DE EMPRESASpt
dc.subjectGESTÃOpt
dc.subjectGESTÃO ORGANIZACIONALpt
dc.subjectMEDICINApt
dc.subjectHOSPITAISpt
dc.subjectESTUDOS DE CASOpt
dc.subjectLIDERANÇApt
dc.subjectGESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDEpt
dc.subjectBRASILpt
dc.subjectMANAGEMENTen
dc.subjectORGANIZATIONAL MANAGEMENTen
dc.subjectMEDICINEen
dc.subjectHOSPITALSen
dc.subjectCASE STUDIESen
dc.subjectLEADERSHIPen
dc.subjectHEALTH SERVICES ADMINISTRATIONen
dc.subjectBRAZILen
dc.subjectGESTÃO HOSPITALARpt
dc.subjectHOSPITAL MANAGEMENTen
dc.subjectGESTÃO DE EMPRESASpt
dc.subjectBUSINESS MANAGEMENTen
dc.titleA influência do médico-gestor na gestão hospitalar : estudo de caso em um hospital universitário pt
dc.typemasterThesispt
dc.identifier.tid201459914
Aparece nas colecções:Biblioteca - Dissertações de Mestrado
Mestrado em Gestão de Empresas

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
simone oliveira - tese.pdfDissertação de Mestrado2.01 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.