Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/6986
Título: Predictors of Mother's Adjustment in the Context of Intimate Partner Violence
Autores: Pinto, Ricardo José, orient.
Teixeira, Ana Isabel da Silva
Palavras-chave: MESTRADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE
PSICOLOGIA
PSYCHOLOGY
VIOLÊNCIA CONJUGAL
CONJUGAL VIOLENCE
RELAÇÕES DE INTIMIDADE
INTIMATE RELATIONSHIP
SUPORTE SOCIAL
SOCIAL SUPPORT
COMPETÊNCIAS PARENTAIS
PARENTING SKILLS
PSICOPATOLOGIA
PSYCHOPATHOLOGY
VIOLÊNCIA NAS RELAÇÕES DE INTIMIDADE
INTIMATE PARTNER VIOLENCE
Data: 2015
Resumo: The purpose of this study was to address some factors described in literature that can influence the impact on the adjustment among women’s victims of intimate partner violence (IPV). We used as woman’s adjustment the dependent variables, psychopathology, posttraumatic stress disorder (PTSD) and salivary cortisol, and as influencers the independent variables, as social support, childhood adversity and perception of parenting competence. The study comprised 156 participants (n = 156), women’s victims of IPV. The sample included 75 (48.1%) women living with their partners and 81 (51.9%) women living in shelters. We used self-report questionnaires to assess psychopathology symptoms, PTSD symptoms, and social support perception, history of childhood adversity, and perception of parenting competence. We also used a salivary cortisol measure (cortisol awakening response). The hierarchical regression analyses, using the total psychopathology symptoms as outcome variable, demonstrated that sexual abuse, reassurance of worth scale and satisfaction were significant correlates in the final model, F(19, 136) = 6.66, p = .00, Cohen’s f 2 = .05. Linear hierarchical regression using PTSD as outcome variable showed that reassurance of worth scale and satisfaction were significant correlates in the final model, F(21, 135) = 5.44, p = .00, Cohen’s f 2 = .03. Logistic regression analyses using cortisol as outcome variable demonstrated that the full model was significantly reliable (χ2 = 12.961, p = .04). In general, we found that social support was a protective factor towards psychopathology and PTSD. Additionally, we found that childhood adversity can increase the risk for psychopathology symptoms, perception of parenting competence was negative associated with psychopathology and PTSD symptoms, and social support, childhood adversity and perception of parenting competence have not shown an influence on the cortisol.
O objetivo deste estudo foi abordar alguns fatores descritos na literatura que podem influenciar o impacto no ajustamento entre mulheres vítimas de violência nas relações de intimidade (VRI). Usámos como ajustamento da mulher as variáveis dependentes, psicopatologia, perturbação de stress pós-traumático (PTSD) e cortisol salivar, e como influenciadores as variáveis independentes, como suporte social, adversidade na infância e perceção de competência parental. O estudo envolveu 156 participantes (n = 156), mulheres vítimas de VRI. A amostra incluiu 75 (48.1%) mulheres a viver com o companheiro e 81 (51.9%) mulheres a viver em casa-abrigo. Usámos questionários de auto-relato para avaliar sintomas de psicopatologia, sintomas de PTSD, e perceção de suporte social, história de adversidade na infância, e perceção de competência parental. Usámos também a medida de cortisol salivar (resposta ao despertar de cortisol). As análises de regressão hierárquicas, usando o total de sintomas psicopatológicos como variável efeito, demonstraram que o abuso sexual, escala de reafirmação de valor e satisfação foram significativamente correlacionadas no modelo final, F(19, 136) = 6.66, p = .00, Cohen’s f 2 = .05. Regressões lineares hierárquicas usando a PTSD como variável efeito mostrou que a escala de reafirmação de valor e satisfação foram significativamente correlacionadas no modelo final, F(21, 135) = 5.44, p = .00, Cohen’s f 2 = .03. Análises de regressão logística usando o cortisol como variável efeito demonstrou que o modelo completo era significativamente confiável (χ2 = 12.961, p = .04). Em geral, constatámos que o suporte social era um fator protetor relativamente à psicopatologia e PTSD. Adicionalmente constatámos que a adversidade na infância pode aumentar o risco de sintomas psicopatológicos, a perceção de competência parental foi negativamente associada com os sintomas psicopatológicos e sintomas de PTSD, e suporte social, adversidade na infância e perceção de competência parental não mostraram ter influência no cortisol.
Descrição: Orientação: Ricardo José Martins Pinto ; co-orientação: Inês Martins Jongenelen
URI: http://hdl.handle.net/10437/6986
Aparece nas colecções:BIBLIOTECA - Dissertações de Mestrado
Mestrado Em Psicologia Clínica e da Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_ Ana Teixeira - final.pdf707.01 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.