Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/6291
Título: Movimento de 1383 e 25 de Abril de 74 – burgueses e capitães, do «putsch» à revolução
Autores: Pinto, José Filipe, orient.
Duarte, António Manuel de Sousa
Palavras-chave: DOUTORAMENTO EM CIÊNCIA POLÍTICA
CIÊNCIA POLÍTICA
POLITICAL SCIENCE
MOVIMENTOS SOCIAIS
SOCIAL MOVEMENTS
GOLPES DE ESTADO
COUPS D'ETAT
REVOLUÇÃO
REVOLUTION
POVO PORTUGUÊS
PORTUGUESE PEOPLE
25 DE ABRIL 1974
25TH APRIL 1974
REVOLUÇÃO DE 1383
1383-1385 CRISIS
Data: 2014
Resumo: O Movimento de 1383-85 e o 25 de Abril de 1974 são dois dos momentos mais marcantes da História de Portugal. O carácter «proto-burguês» daquele Movimento, e o que dele resultou como contributo directo para a génese de uma nova dinastia; e o regime democrático, resultante da intervenção dos militares, instaurado com a Revolução dos Cravos, foram dinamizados por grupos sociais, corporativos e profissionais definidos, que se assumiram como efectivas ameaças aos sistemas instituídos. Há em ambos um conjunto de relevantes elementos-comuns: o apoio popular que se revelou factor decisivo para a vitória dos revoltosos; a passagem do Golpe de Estado «putsch» ou sublevação a revolução num só dia; e as lideranças pessoais protagonizadas por líderes carismáticos. Investiga-se, nesta tese, a afirmação dos burgueses como grupo social emergente em 1383-85, fenómeno com semelhanças e mimetismos evidentes com o descontentamento social, gérmen da rebelião institucional protagonizada pelo Movimento dos Capitães – os burgueses de 74 –, e procura dar-se resposta a hipóteses de trabalho que apontam para uma relação de analogia entre os dois momentos, designadamente ao nível do contributo do povo e das figuras de D. João I e Salgueiro Maia.
The 1383-85 Movement and the 25 April 1974 Revolution are two key moments in Portugal’s history. The proto-bourgeois nature of the 1383-85 Movement, which made a direct contribution to the genesis of a new dynasty; and the democratic regime, deriving from the military intervention in the Carnation Revolution, were underpinned by specific social, corporative and professional groups, who openly defined themselves as threats to the established systems. A set of relevant common aspects can be found in both instances: the popular support that proved a decisive factor in the victory of the rebelling forces; the shift from a “putsch” coup or uprising to a single-day revolution; and the leadership characterized by charismatic figureheads. This dissertation looks into the consolidation of the bourgeois as an emerging social group in 1383-85, a phenomenon that contains obvious similarities to the social discontent, the germ of the institutional rebellion instigated by the Captains’ Movement (the 1974 bourgeois), and attempts to prove the hypothesis of an analogy between the two moments of history, namely as regards the contribution of the people and the individuals King João I and Salgueiro Maia.
Descrição: Orientação : José Filipe Pinto
URI: http://hdl.handle.net/10437/6291
Aparece nas colecções:BIBLIOTECA - Teses de Doutoramento
Doutoramento em Ciência Política

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
António - tese final.pdf26.19 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.