Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/6155
Título: A influência do ambiente e das atitudes familiares nas manifestações psicossomáticas dos filhos
Autores: Ramos, Mariana Moura, orient.
Lima, Gláucia Kronberg Medeiros
Palavras-chave: MESTRADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE
PSICOLOGIA
PSYCHOLOGY
PSICOSSOMÁTICA
PSYCHOSOMATIC MEDICINE
BIOPSICOLOGIA
BIOPSYCHOLOGY
STRESS
STRESS
FAMÍLIA
FAMILY
RELAÇÃO PAIS-FILHOS
PARENT-CHILD RELATIONSHIP
Data: 2012
Resumo: Estudos têm sugerido que fatores ambientais na família e atitudes parentais são significativos para a presença de doenças e sintomas psicossomáticos nos filhos. Este estudo transversal, Estudo 1 e 2, analisou de que forma o ambiente e as atitudes familiares exercem esta influência na saúde dos filhos. Foram aplicadas as escalas FES, CSI-24, PSI-Stress de Vida, o inquérito APAD (em desenvolvimento) e uma ficha para dados sociodemográficos e levantamento de doenças. Os participantes do Estudo 1 (n=100) foram pais de alunos de duas escolas públicas de Porto, que originou também a amostra para o Estudo 2 (n=19). No Estudo 1, vários fatores apresentaram associação às manifestações psicossomáticas, nomeadamente acontecimentos de vida como: o número de casamentos, a morte de um membro da família próxima, a entrada num novo emprego; a mudança de uma pessoa da família para a casa, a separação conjugal, a doença psiquiátrica, ou características do ambiente familiar como o conflito familiar, a organização, o controlo, a orientação para a conquista e a coesão. No Estudo 2, as análises estatísticas foram exploratórias, relativa aos filhos de pais divorciados, aos fatores ambientais e as manifestações psicossomáticas, além de uma pré-análise da validade do instrumento APAD. Pôde-se concluir que alguns fatores socio-ambientais familiares e algumas atitudes parentais exercem influência para manifestação de doenças e sintomas psicossomáticos nos filhos
Studies have suggested that environmental factors and family attitude in the family and parental attitudes are significant predictors of the presence of diseases and psychosomatic symptoms in children. These cross-sectional studies, Study 1 and 2, examined how the environment and family attitudes exert this influence on the health of children. Were applied FES, CSI-24, PSI-Life’s Stress scales, the survey APAD (in development), a demographic questionnaire and a questionnaire on psychosomatic diseases. Participants in Study 1 (n=100) were parents of students from two public schools in Porto, which also originated the sample for Study 2 (n=19). In Study 1, several factors showed association with psychosomatic manifestations, including life events such as: the number of marriages, the death of a close family member, the entry into a new job, changing of a person’s family at home, marital separation, psychiatric illness, or characteristics of the family environment as family conflict, organization, control, achievement orientation and cohesion. In Study 2, exploratory analyzes were conducted on divorced parents, on environment factors and psychosomatic manifestations. Additionally, we conducted some exploratory analysis on the validity of the instrument APAD. Findings suggested that some socio-environmental factors and some parental attitudes influence the manifestation of diseases and psychosomatic symptoms in children.
Descrição: Orientação: Mariana Moura Ramos
URI: http://hdl.handle.net/10437/6155
Aparece nas colecções:BIBLIOTECA - Dissertações de Mestrado
Mestrado Em Psicologia Clínica e da Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tese mestrado 2.pdf1.62 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.