Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/5851
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorPaixão, Paulo, orient.
dc.contributor.authorJúlio, Nuno Miguel Pereira
dc.date.accessioned2014-12-09T16:17:00Z
dc.date.available2014-12-09T16:17:00Z
dc.date.issued2014
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10437/5851
dc.descriptionOrientação: Paulo Paixãopt
dc.description.abstractO controlo da termorregulação assim, como o aquecimento e arrefecimento da pele influenciam o nível de fluxo sanguíneo a que a pele está sujeita. As alterações ou variações da temperatura local produzem um efeito de vasoconstrição ou de vasodilatação na pele. Este efeito, é o resultado de um conjunto de mecanismos como a activação dos receptores adrenérgicos, a resposta endotelial e sistemas sensoriais. Tanto a fase de vasodilatação como a fase de vasoconstrição da pele, são suportadas por transmissores simpáticos, e controlo nervoso local. Como consequência do aquecimento local verifica-se uma vasodilatação transitória através de um reflexo axonal, seguida de uma fase de “plateau”, em grande parte devido à presença de óxido nítrico. Após a fase de planalto ou “plateau” dá-se um fenómeno designado de “die-away”, que corresponde a uma lenta inversão da vasodilatação que está dependente dos nervos simpáticos vasoconstritores. A fase de vasoconstrição com consequente arrefecimento da temperatura local cutânea é originada por uma sobre-regulação pós-sináptica de α2C-adrenérgico, assim como pela inibição do sistema de óxido nítrico. [3] A termorregulação enquanto controlo da circulação sanguinea na pele humana é de extrema importância com vista a manter uma temperatura corporal normal durante variações da homeostase térmica. [2] Os principais objectivos desta monografia são efectuar uma revisão sobre a regulação da temperatura local da pele, abordando conceitos como a microcirculação cutânea identificando os locais onde se faz a regulação, passando pelo mecanismo de termorregulação local, comparando-o com o central, sem esquecer a importância do óxido nítrico em todo o processo. No que respeita à metodologia utilizada neste trabalho, esta recaiu essencialmente numa pesquisa bibliográfica utilizando o motor de busca pubmed, onde foi essencial a consulta de artigos recentemente publicados. Foram igualmente utilizadas outras fontes de informação como livros científicos relacionados com o tema.pt
dc.formatapplication/pdf
dc.language.isoporpt
dc.rightsopenAccess
dc.subjectCIÊNCIAS FARMACÊUTICASpt
dc.subjectMESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICASpt
dc.subjectPELEpt
dc.subjectTERMORREGULAÇÃOpt
dc.subjectVASODILATAÇÃOpt
dc.subjectVASOCONSTRIÇÃOpt
dc.subjectMICROCIRCULAÇÃO CUTÂNEApt
dc.subjectMICROCIRCULATIONen
dc.subjectSKINen
dc.subjectTHERMOREGULATIONen
dc.subjectVASODILATIONen
dc.subjectVASOCONSTRICTIONen
dc.subjectPHARMACEUTICAL SCIENCESen
dc.titleRegulação da temperatura local da pelept
dc.typemasterThesispt
dc.identifier.tid201420139
Aparece nas colecções:BIBLIOTECA - Dissertações de Mestrado
Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tese_nuno final word corrigida FINAL.pdfDissertação de Mestrado751.26 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.