Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/5465
Título: Perceção da vulnerabilidade ao stress em função do estatuto laboral num contexto de crise económica
Autores: Fernandes, Susana, orient.
Costa, Diana Suse Gomes
Palavras-chave: PSICOLOGIA
STRESS
DESEMPREGO
CRISES ECONÓMICAS
PSYCHOLOGY
STRESS
UNEMPLOYMENT
ECONOMIC CRISIS
23 QVS (QUESTIONÁRIO...)
MESTRADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE
TESTES PSICOLÓGICOS
PSYCHOLOGICAL TESTS
Data: 2014
Resumo: Este estudo teve por objetivo analisar a vulnerabilidade ao stress em sujeitos que se encontram desempregados. O trabalho foi realizado com uma amostra portuguesa de sujeitos empregados e desempregados (N=180). O desenho do estudo é do tipo transversal, sendo os sujeitos avaliados num único momento. Utilizou-se um questionário sócio-demográfico e o 23QVS-Questionário de Vulnerabilidade ao Stress. A hipótese 1 previa que existisse diferenças estatisticamente significativas na perceção à vulnerabilidade ao stress entre sujeitos desempregados e empregados, prevendo-se que os primeiros apresentassem maior vulnerabilidade. A hipótese foi infirmada, concluindo-se que, não existem diferenças estatisticamente significativas entre o grupo de sujeitos empregados e desempregados, no que se refere à vulnerabilidade ao stress, corroborando a hipótese inicial. A hipótese 2 previa que a perceção de vulnerabilidade ao stress variasse em função do tempo de desemprego esperando-se que, os sujeitos em situação de desemprego prolongado, apresentassem maior vulnerabilidade ao stress, contudo a hipótese também não foi confirmada, não se verificando diferenças estatisticamente significativas entre os grupos, no que se refere à perceção de vulnerabilidade ao stress, não corroborando a hipótese inicialmente prevista. Estes resultados demostram que a nível geral tanto sujeitos empregados, quanto sujeitos desempregados se encontram vulneráveis ao stress.
This study aimed to analyze the stress vulnerability in unemployed subjects. This work was conducted with a sample of unemployed portuguese subjects (N=180).The study design is a transversal type beying the subjects evaluated in a single moment. A sóciodemographic questionnaire and 23QVS-Questionnaire of vulnerability to Stress was used. The hypothesis 1 predicted that there were a significant statistically difference in the perception of vulnerability stress between unemployed subjects and employees and it is expected that the first show a greater vulnerability. The hypothesis hasn`t been confirmed concluding that there aren`t significant statistically difference between the employed and unemployed group subjects, according to vulnerability to stress, corroborating the initial hypothesis. The hypothesis 2 provided that the stress vulnerability varied depending on the unemployment time, expecting that unemployed subjects in a prolonged situation show a greater vulnerability to stress, however, the hypothesis wasn`t confirmed, concluding that there aren`t significant statistically difference between the groups according to vulnerability to stress, not corroborating the hypothesis initially intended. These results show that in a global way both groups employees and unemployed subject are vulnerable to stress.
Descrição: Orientacão: Susana Fernandes
URI: http://hdl.handle.net/10437/5465
Aparece nas colecções:BIBLIOTECA - Dissertações de Mestrado
Mestrado Em Psicologia Clínica e da Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissert. Mestr. Diana Costa-ULP (2014).pdfDissertação de Mestrado918.17 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.