Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/3078
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorAlmeida, Dulce Marques de, orient.
dc.contributor.authorSousa, Rogério Bastos de
dc.date.accessioned2013-02-06T17:21:38Z
dc.date.available2013-02-06T17:21:38Z
dc.date.issued2012
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10437/3078
dc.descriptionOrientação: Dulce Marques de Almeidapt
dc.description.abstractO Homem tem privilegiado a vida no meio urbano, em detrimento do rural, por mais oportunidade de emprego e melhores condições de vida. As cidades cresceram de forma acelerada, sobretudo depois da Revolução Industrial do século XVIII, crescimento sem controlo, repercutindo-se num desajustado planeamento urbano, ambiental, humano, social e económico. De uma forma, as paisagens verdes e naturais, foram substituídas por densas manchas cinzentas de construção, criando afastamento crescente do Homem com a Natureza. Os Jardins Verticais poderão ter um papel fundamental revestindo de forma verde e natural as fachadas dos edifícios, numa tentativa de colmatar o afastamento entre ambos. Para além destes aspectos, os Jardins Verticais proporcionam inúmeras vantagens para o edifício, de que se destacam a eficiência energética e acústica, a protecção da estrutura do edificado ou a melhoria da qualidade do ar interior. Estes também importantes para a envolvente, como na redução do efeito ilha de calor, no aumento da biodiversidade, na melhoria da qualidade do ar exterior, mas sobretudo porque proporcionam ao Homem uma sensação de saúde e conforto, exclusivo da Natureza. Tendo em conta o estado de degradação do edificado nas grandes cidades, e tomando como exemplo particular a cidade do Porto, o recurso aos Jardins Verticais poderá ser uma solução viável para a reabilitação urbana, mudando a imagem de degradação, propondo uma imagem mais “verde” e contribuindo para o nível de sustentabilidade. Partindo deste pressuposto, propõe-se como aplicação do conhecimento adquirido no estudo desenvolvido e aqui apresentado, o recurso a Jardins Verticais como estratégia de reabilitação de edifícios da cidade do Porto. Inspirado na técnica e mestria de Patrick Blanc, resultou um “pormenor-tipo”, como base para a aplicação de Jardins Verticais no edificado social da cidade, experimentado em 10 estudos práticos, tirando-se partido das vantagens supra-mencionadas.pt
dc.description.abstractMan has privileged life in urban rather than rural because that ensures employment opportunities and better living conditions. Cities grew rapidly, especially after the Industrial Revolution of the century XVIII, without any control, leading to an inadequate urban plan, environmental, human, social and economic. Someway, the natural green landscapes were replaced by dense gray stains of buildings, creating a growing distance between Man and Nature.The Vertical Gardens can play a key role, coating of natural green the facades of our buildings, in an attempt to finish the separation between both. Besides, Vertical Gardens provide numerous advantages to the building, like the energy and acoustic efficiency, the protection to the structure of the building or the improvement of indoor air quality. These are also important for urban surroundings, in reducing the heat island effect, increasing biodiversity, improving outdoor air quality, but above all because they provide Man a sensation of the health and comfort, exclusive of Nature. Considering the degradation of buildings in major cities, taking as particular example Porto city, recourse to Vertical Gardens can be a viable solution to urban rehabilitation, changing the image of urban degradation, proposing a more "green" landscape and contributing to the sustainability level. Thus, it is proposed as an application of the knowledge acquired on the study developed and presented here, the use of Vertical Gardens as a strategy for rehabilitation of buildings in Porto city. Inspired in Patrick Blanc mastery and technique, it results a “pormenor-standard”, as a base to application of Vertical Gardens in buildings of social habitation, that “pormenor-standard” has been experimented in 10 practical studies, taking advantage of the above mentioned.en
dc.formatapplication/pdf
dc.language.isoporpt
dc.rightsopenAccess
dc.subjectARQUITETURApt
dc.subjectJARDINSpt
dc.subjectSUSTENTABILIDADE URBANApt
dc.subjectREABILITAÇÃO URBANApt
dc.subjectARCHITECTUREen
dc.subjectGARDENSen
dc.subjectURBAN SUSTAINABILITYen
dc.subjectURBAN REHABILITATIONen
dc.subjectMESTRADO EM ARQUITETURApt
dc.subjectURBANISMOpt
dc.subjectURBANISMen
dc.titleJardins Verticais : um contributo para os espaços verdes urbanos e oportunidade na reabilitação do edificadopt
dc.typemasterThesispt
Aparece nas colecções:Biblioteca - Dissertações de Mestrado
Mestrado em Arquitetura

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Jardins Verticais-Rogério de Sousa_13_12_2012 final.pdf16.04 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.