Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10437/11899
Título: Uso da realidade virtual na intervenção com ofensores : revisão sistemática da literatura
Autores: Dias, Ana Rita Conde, orient.
Maurício, Jéssica Marina Mendonça
Palavras-chave: MESTRADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE
PSICOLOGIA
PSYCHOLOGY
PSICOLOGIA CLÍNICA
CLINICAL PSYCHOLOGY
REALIDADE VIRTUAL
VIRTUAL REALITY
TERAPÊUTICAS
THERAPEUTICS
RECLUSOS
INMATES
TERAPIAS COGNITIVAS COMPORTAMENTAIS
COGNITIVE-BEHAVIORAL THERAPIES
Data: 2020
Resumo: A terapia de realidade virtual (RV) baseia-se em estratégias e técnicas terapêuticas nas quais os pacientes são expostos ou imersos, em ambiente virtual, a situações que simulam a realidade com o objetivo de aprender e treinar competências. A presente revisão sistemática da literatura tem como objetivo perceber que terapias com recurso a RV se aplicam a ofensores/reclusos/delinquentes. O protocolo utilizado para análise e redação desta revisão foi o PRISMA. A pesquisa foi realizada em oito bases de dados seguindo os critérios de inclusão e exclusão descritos neste estudo, nomeadamente a seleção de estudos existentes a partir do ano 2000. Desta pesquisa surgiram 1 385 resultados, sendo que 13 foram analisados nesta revisão por cumprirem todos os critérios de inclusão. Relativamente aos resultados, apresentam-se maioritariamente artigos de revisão teórica (n=4) abordando as utilizações da RV como terapia e complemento terapêutico da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e o uso de recursos de RV para avaliação do risco de abuso em ofensores sexuais. Após a análise destes estudos foram salientadas as vantagens do uso deste tipo de terapias com ofensores, quando acompanhadas de estratégias de TCC, por exemplo, a possibilidade de exposição e treino de competências a atingir, em ambiente virtual, seguro e controlado que simula situações reais sem causar danos a si ou a outros. Como resultados deste tipo de terapias indicam-se o aumento da empatia, aumento da capacidade de insight, melhoria da capacidade destes compreenderem a perspetiva do outro, motivação e comprometimento para o processo terapêutico, entre outras. Verifica-se a escassez de estudos quantitativos no que se refere à eficácia do uso da RV como terapia para ofensores, nomeadamente em contexto prisional. Dos estudos analisados ressaltaram ainda as vantagens, desvantagens e sugestões dos autores relativamente ao estudo deste tema. Por fim apresentámos algumas considerações sobre o estudo e a literatura encontrada.
Virtual reality therapy is based on therapeutic strategies and techniques in which patients are exposed or immersed, in a virtual environment, to situations that simulate reality in order to learn and train skills, for example, self-control. In this systematic review of the literature, we aimed to realize that therapies using virtual reality (VR) apply to treatment of offenders / prisoners / offenders. The protocol used for the analysis and writing of this review was PRISMA. The research was carried out in eight databases following the inclusion and exclusion criteria described in this study, namely the selection of existing studies from the year 2000 onwards. 1,385 results emerged from this research, 13 of which were analysed in this review for fulfilling all the criteria. Inclusion criteria. Regarding the results, mostly theoretical review articles (n = 4) addressing the uses of VR as therapy and therapeutic complement with Cognitive Behavioural Therapy and the use of VR resources to assess the risk of abuse in sexual offenders are presented. After analysing these studies, the advantages of using this type of therapies with offenders were highlighted, when accompanied by CBT strategies, for example, the possibility of exposure and training of skills to be achieved, in a virtual, safe and controlled environment that simulates real situations. Without causing harm to yourself or others. As a result of these types of therapies, there is an increase in empathy, an increase in the capacity for insight, an improvement in their ability to understand the other's perspective, motivation and commitment to the therapeutic process, among others. The insufficiency of quantitative studies on the effectiveness of using VR as a therapy for offenders was notable, particularly in prison settings. Of the studies analysed, they also highlighted the advantages, disadvantages and suggestions of the authors regarding the study of this theme. Finally, we presented some considerations about the study and the literature found.
Descrição: Orientação: Ana Rita Conde Dias; co-orientação: Teresa Souto
URI: http://hdl.handle.net/10437/11899
Aparece nas colecções:Biblioteca - Dissertações de Mestrado
Mestrado Em Psicologia Clínica e da Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese-Dissertação Jéssica Maurício.pdfDissertação de Mestrado491.92 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.