Utilize este identificador para referenciar este registo: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/10423
Título: Aplicações da fotografia a cores (processo Lumière) e da fotografia estereoscópica na medicina
Autores: Peres, Marília
Palavras-chave: FOTOGRAFIA
PHOTOGRAPHY
MEDICINA
MEDICINE
ESTEREOSCOPIA
STEREOSCOPY
COMUNICAÇÃO
COMMUNICATION
Data: 2019
Editora: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Resumo: O que podem ter em comum as fotografias estereoscópicas e as fotografias a cores desenvolvidas pelos irmãos Lumière? Ambos os processos são ilusões, levando a perceção humana a reconstruir a impressão de profundidade ou da cor natural. Os dois tipos de fotografia necessitavam de aparelhos que permitissem a sua visualização, contribuindo para uma imersão do observador no objeto observado. A junção dos dois processos originou as imagens estereoscópicas a cores (autocromos estereoscópicos) que foram populares na época. Vistas com equipamento especial, elas produziam imagens em 3D que seduziam o observador do início do século XX. As fotografias estereoscópicas e os autocromos, longe de serem unicamente um instrumento de diversão ou artístico, desde cedo ocuparam um lugar primordial no desenvolvimento da medicina, bem como no seu ensino e divulgação. Através de uma abordagem histórica, pretende-se neste artigo analisar o papel destas duas técnicas fotográficas imersivas na medicina, de modo a sublinhar as semelhanças entre os dois processos, assim como conhecer as suas limitações.
What does stereoscopic photography have in common with color photography as developed by the Lumière brothers? Both processes are illusions, leading human perception to reconstruct the appearance of depth and natural color. Both types of photography required devices to enable observation, contributing to a visual immersion with the subject matter. The combination of both processes gave rise to coloured stereoscopic images ( stereo autochromes) which were popular in the period. When seen through special equipment, they could produce three-dimensional images which fascinated early 20th-century observers. Stereoscopic photography and autochromes were, rather than a simple means of entertainment and art, of paramount relevance to the development of medicine, as well as to its dissemination and medical education. Through an historical approach, this essay seeks to examine the role of these two immersive photographic techniques in medicine, thus allowing us to highlight the similarities between both processes, as well as to acknowledge their limitations.
Descrição: International Journal on Stereo & Immersive Media
URI: https://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/10423
ISSN: 2184-1241
Aparece nas colecções:IJSIM : International Journal on Stereo & Immersive Media, Vol. 3, Nº. 1 (2019)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
7182-Article Text-20716-1-10-20200720.pdf2.72 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.