Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10437/10210
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMunhoz, Ana, orient.
dc.contributor.authorLopes, Pedro Alcaide
dc.date.accessioned2020-06-04T14:34:24Z
dc.date.available2020-06-04T14:34:24Z
dc.date.issued2020
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10437/10210
dc.descriptionOrientação: Ana Maria Duque de Araújo Munhoz ; co-orientação: Francisco Camachopt
dc.description.abstractA piroplasmose equina é uma doença causada pelos hematozoários Theileria equi e Babesia caballi e é transmitida por carraça ixodídeas ou mecanicamente por meio de agulhas contaminadas com sangue de animais portadores e picadas de insetos. É uma doença de declaração obrigatória a nível internacional pela Organização Mundial da Saúde Animal por ser considerada uma doença em que os tratamentos não são efetivos contra a Theileria equi, permanecendo como portadores os equinos infetados. Esta doença tem uma elevada importância económica por apresentar restrições nas trocas comerciais de equinos em diversos países. Dois desses países, onde a piroplasmose ocorre são Portugal e o Brasil, afetando a produção equina e restringindo as trocas comerciais e provas desportivas de equinos. Este estudo teve como objetivos obter informação sobre as principais dificuldades entre proprietários, coudelarias e médicos veterinários nas trocas comerciais de cavalos a nível nacional e internacional em Portugal e no Brasil, obter informações sobre os métodos de diagnósticos mais utilizados e relacionar os principais fatores que pudessem contribuir para o aparecimento da doença (alojamento, coabitantes, esquema de desparasitação, uso de piroplasmicidas e a limpeza das instalações e idade dos animais). Foram realizados três questionários em Portugal e no Brasil direcionados à proprietários, coudelarias e médicos veterinários. A dificuldade mais apontada nos dois países foi a obtenção de documentos oficiais de identificação animal. As técnicas de diagnóstico mais utilizadas foram os esfregaços sanguíneos, ELISA e IFAT. Em Portugal os proprietários, que indicaram utilizar o alojamento de pastagem, tiveram menos casos de piroplasmose equina nos seus animais e os animais mais jovens (≤10 anos) foram indicados como os mais afetados pela doença.pt
dc.description.abstractEquine piroplasmosis is a disease caused by the hematozoa Theileria equi and Babesia caballi and is transmitted by ixodid ticks or mechanically by needles contaminated with blood from carriers and insect bites. It is a disease of mandatory declaration worldwide by the World Organization for Animal Health as it is considered a disease in which treatments are not effective against Theileria equi, remaining infected horses as carriers. This disease is of great economic importance because it has restrictions on trade in horses in several countries. Two of these countries where piroplasmosis occurs are Portugal and Brazil, affecting equine production and restricting equine trade and sporting events. This study aimed to obtain information on the main difficulties between owners, studs and veterinarians in national and international horse trade in Portugal and Brazil, the most used diagnostic methods and to list the main factors that might contribute to the onset of the disease (housing, cohabitants, deworming regimen, use of antiprotozoal drugs and cleanliness of facilities, and age). Three questionnaires were conducted in Portugal and Brazil directed to owners, stud houses and veterinarians. The most common difficulty in both countries was obtaining official animal identification documents. The most commonly used diagnostic techniques were blood smears, ELISA and IFAT. In Portugal, owners who reported using pasture housing had fewer cases of equine piroplasmosis in their animals. Younger ages (≤10 years) were indicated to be more affected by the disease.en
dc.formatapplication/pdf
dc.language.isoporpt
dc.rightsopenAccess
dc.subjectMESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA VETERINÁRIApt
dc.subjectVETERINÁRIApt
dc.subjectMEDICINA VETERINÁRIApt
dc.subjectEQUÍDEOSpt
dc.subjectTROCAS COMERCIAISpt
dc.subjectIMPORTAÇÕESpt
dc.subjectEXPORTAÇÕESpt
dc.subjectVETERINARY MEDICINEen
dc.subjectBABESIOSISen
dc.subjectEQUIDSen
dc.subjectCOMMERCIAL TRADESen
dc.subjectIMPORTSen
dc.subjectEXPORTSen
dc.titlePiroplasmose equina e implicações nas trocas comercias em Portugal e no Brasil: perceções em uma amostra de proprietários, coudelarias e médicos veterináriospt
dc.typemasterThesispt
dc.identifier.tid202461106pt
Aparece nas colecções:Biblioteca - Dissertações de Mestrado
Mestrado Integrado em Medicina Veterinária

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE FINAL (correção).pdfDissertação de Mestrado3.4 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.