Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10437/10065
Título: Validation of the Adverse Childhood Experiences Questionnaire
Autores: Pinto, Ricardo José, orient.
Teixeira, Ana Raquel Inverneiro
Palavras-chave: MESTRADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE
PSICOLOGIA
INFÂNCIA
ANÁLISE FATORIAL
PSICOMETRIA
VALIDAÇÃO DE TESTES PSICOLÓGICOS
PSYCHOLOGY
CHILDHOOD
FACTOR ANALYSIS
PSYCHOMETRICS
VALIDATION OF PSYCHOLOGICAL TESTS
Data: 2019
Resumo: Experiências adversas na infância (ACE) são experiências que ocorrem na infância, tais como abuso, negligência e tipos de disfunção familiar, que aumentam o risco de problemas de saúde física e psicológica e afetam o desenvolvimento. As ACE são avaliadas normalmente através de uma entrevista semiestruturada. No entanto existem muitos instrumentos que completam o diagnóstico, como o Questionário das Experiências Adversas na Infância. Existem várias vantagens em analisar as propriedades psicométricas do instrumento e esta dissertação visa examinar a estrutura fatorial deste questionário. Método: Foram utilizados dados da versão portuguesa do Questionário ACE. A amostra incluiu 383 adolescentes. A média de idades foi de 17 anos (M = 16.52, SD = 1.74), variando entre 13 e 23 anos (171 (44.6%) do sexo masculino e 212 (55.4%) do sexo feminino). Resultados: Aproximadamente metade da amostra relatou exposição a três/ quatro ACE (n = 192; 50.1%). Considerando a análise fatorial confirmatória, os resultados mostraram que todos os modelos testados apresentaram baixos índices. Contudo, a análise da consistência interna revelou valores altos de alfa. Conclusão: Apesar do questionário ACE ser um dos instrumentos de autorrelato mais utilizados nesta área, a validade de construto requer mais estudos no sentido de se estreitar a relação entre o plano conceptual e o estatístico. Contudo, importa referir que ainda permanece em debate o melhor método para avaliar a validade de construtos que envolvem experiências, comparativamente a outros construtos. Consequentemente, os procedimentos tradicionais quando uma nova medida é desenvolvida, como confiabilidade interna e análise fatorial, podem não ser métodos apropriados para instrumentos que avaliam experiências de vida, e o nosso estudo parece corroborar essa hipótese. Alguns investigadores sugerem o teste-reteste como o melhor método, pelo que seria importante alargar o estudo e fazer esse tipo de análise.
Adverse Childhood Experiences (ACEs) are traumatic events in childhood, like abuse, neglect and kinds of serious household dysfunction, that can increase risk for physical or psychological health and development. ACEs are mostly evaluated with a careful semi-structured interview. However, there are many instruments that complete the diagnosis, like the ACE Questionnaire. There are several advantages to examining the psychometric properties of the instrument, and this dissertation aims to access and examine the factorial structure of this questionnaire. Method: We used a data from the Portuguese version of the ACE Study Questionnaire. The sample included 383 adolescents. The mean of the age was 17 years old (M = 16.52, SD = 1.74), ranged between 13 and 23 years old (171 (44.6%) males and 212 (55.4%) females). Results: Approximately half of the sample reported having been exposed at three/four ACE (n = 192; 50.1%). Considering fit indices models, results presented that all tested models presented poor fit. However, the analysis of internal consistency showed high alpha values. Conclusion: Although the ACE questionnaire is one of the most commonly used self-report instruments to assess this theme, construct validity requires further studies in order to narrow the relationship between the conceptual and statistical planes. However, they should be aware that the best method for assessing the validity of constructs involving experiments as compared to other constructs is still under debate. Consequently, traditional procedures when a new measure is developed, such as internal reliability and factor analysis, may not be appropriate methods for instruments that evaluate life experiences, and our study seems to corroborate this hypothesis. Some researchers suggest that test-retest may be the best method, so it would be important to extend the study and do this kind of analysis in the future.
Descrição: Orientação: Ricardo José Martins Pinto
URI: http://hdl.handle.net/10437/10065
Aparece nas colecções:Biblioteca - Dissertações de Mestrado
Mestrado Em Psicologia Clínica e da Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RaquelTeixeira_Versãofinal.pdfDissertação de Mestrado314.96 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.