Medicina física e reabilitação de cães com síndrome vestibular periférica

DSpace/Manakin Repository

Medicina física e reabilitação de cães com síndrome vestibular periférica

Show simple item record

dc.contributor.advisor Viegas, Inês, orient.
dc.contributor.author Carvalho, Carla Marisa Vicente
dc.date.accessioned 2016-05-31T09:54:17Z
dc.date.available 2016-05-31T09:54:17Z
dc.date.issued 2016
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/10437/7047
dc.description Orientação : Inês Viegas ; co-orientação : Ângela Martins pt
dc.description.abstract A neuroreabilitação funcional encontra-se em ascensão na área da Medicina Veterinária e em particular quanto à sua aplicação em animais com síndrome vestibular periférica (SVP). Os objetivos deste estudo incidiram na adaptação e aplicação de um protocolo de neuroreabilitação funcional com um treino de balanço para a SVP e na comparação dos resultados finais, obtidos na escala de equilíbrio criada, entre os cães a que se aplicou este protocolo, os cães a que se administrou corticosteroides e os cães que apenas realizaram um tratamento base, averiguando assim qual o melhor protocolo de tratamento para a SVP. O presente estudo contou com a casuística de 21 casos de SVP presenciados durante os 6 meses de estágio curricular decorridos no HVA e CRAA. Os 21 casos foram divididos em 3 grupos de 7 casos, sendo estes: Grupo 1 – Cães com SVP sujeitos a tratamento base e protocolo de neuroreabilitação funcional do vestibular; Grupo 2 – Cães com SVP sujeitos a tratamento base associado à administração de fármacos corticosteroides (metilprednisolona 0,5mg/Kg BID); e Grupo 3 – Cães com SVP sujeitos apenas ao tratamento base. A análise estatística dos dados recolhidos permitiu concluir o seguinte: • A aplicação de protocolos de neuroreabilitação funcional a doentes com síndrome vestibular periférica possui melhores resultados do que a administração de fármacos corticosteroides ou do que a aplicação de apenas tratamento base; • A administração de fármacos corticosteroides não possui benefícios no desempenho; • O peso tem influência nos resultados obtidos, independentemente do tratamento aplicado, sugerindo-se que animais mais pesados têm uma recuperação mais lenta no início, evoluindo posteriormente para os mesmos índices de recuperação que animais mais leves; • A etiologia não aparenta ter influência no desempenho, qualquer que seja o Grupo; • A idade parece ter influência no desempenho dos animais submetidos a protocolo de neuroreabilitação funcional do vestibular, sugerindo-se que os animais mais velhos têm um melhor desempenho. pt
dc.description.abstract Functional Neuroreahabilitation is rising in veterinary medicine such as its application in animals with peripheral vestibular syndrome (PVS). The goals of this study focused on the redesign and application of a functional neurorehabilitation protocol with a balance training for the PVS and the comparison of the final results, obtained on the balance scale that was created, among dogs that applied this protocol, dogs that had corticosteroids administration and dogs that underwent only througth a basic treatment, thus inquiring what is the best treatment protocol for the PVS. This study had a total sample of 21 cases of PVS witnessed during the 6 months of internship in HVA and CRAA. The 21 cases were divided into 3 groups of 7 cases, namely: Group 1 – Dogs with PVS undergoing basic treatment and functional vestibular neurorehabilitation protocol; Group 2 - Dogs with PVS undergoing basic treatment associated with the administration of corticosteroid drugs (methylprednisolone 0.5 mg / kg BID); and Group 3 - Dogs with PVS that had only the basic treatment. Statistical analysis of the data collected allowed concluding the following: • Applying functional neurorehabilitation in patients with peripheral vestibular syndrome has better results than the administration of corticosteroids drugs or than the application of only basic treatment; • The administration of corticosteroid drugs does not have benefits in the final performance; • Weight has influence on the results, regardless of the treatment, suggesting that heavier animals have a slower recovery in the beginning, later evolving into the same recovery rates than lighter animals; • Etiology appears to have no influence on performance, whatever the group; • Age seems to influence the performance of animals that went througth functional vestibular neurorehabilitation protocol, suggesting that older animals have better performances. en
dc.format application/pdf
dc.language.iso por pt
dc.rights openAccess
dc.subject MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA VETERINÁRIA pt
dc.subject VETERINÁRIA pt
dc.subject CÃES pt
dc.subject SINDROME VESTIBULAR pt
dc.subject SINTOMATOLOGIA pt
dc.subject NEURORREABILITAÇÃO pt
dc.subject CORTICOSTEROIDES pt
dc.subject TRATAMENTOS MÉDICOS pt
dc.subject REABILITAÇÃO FÍSICA pt
dc.subject DOGS en
dc.subject VESTIBULAR SINDROME en
dc.subject SYMPTOMATOLOGY en
dc.subject NEUROREHABILITATION en
dc.subject ADRENAL CORTEX HORMONES en
dc.subject MEDICAL TREATMENTS en
dc.subject PHYSICAL REHABILITATION en
dc.subject CANÍDEOS pt
dc.subject CANIDS en
dc.subject MEDICINA VETERINÁRIA pt
dc.subject VETERINARY MEDICINE en
dc.subject REABILITAÇÃO FUNCIONAL pt
dc.subject FUNCTIONAL REHABILITATION en
dc.title Medicina física e reabilitação de cães com síndrome vestibular periférica pt
dc.type masterThesis pt


Files in this item

Files Size Format View Description
Medicina Física ... érica - Carla Carvalho.pdf 6.593Mb PDF View/Open Dissertação de Mestrado

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account