Reabilitação cognitiva em idosos institucionalizados com deterioração cognitiva

DSpace/Manakin Repository

Reabilitação cognitiva em idosos institucionalizados com deterioração cognitiva

Show full item record

Title: Reabilitação cognitiva em idosos institucionalizados com deterioração cognitiva
Author: Soares, Carla Pereira
Abstract: O presente estudo tem como questão de partida: “Será que a reabilitação cognitiva em idosos institucionalizados melhora o seu desempenho em testes psicológicos de avaliação cognitiva?”. Assim, o objetivo consiste em avaliar se a reabilitação cognitiva influencia o desempenho cognitivo nos indivíduos, sobretudo, nos indivíduos com deterioração cognitiva. A amostra deste estudo é composta por 15 idosos de ambos os sexos, com média de idades de 84,13 anos, que se encontram institucionalizados numa residência geriátrica em Salvatierra do Miño, Espanha. Estes idosos foram divididos de acordo com o nível de deterioração cognitiva (segundo o Mini-Examen Cognoscitivo (MEC)): 5 idosos com deterioração cognitiva leve; 5 idosos com deterioração cognitiva moderada; e 5 com deterioração cognitiva grave. As escalas aplicadas foram o Mini-Examen Cognoscitivo (MEC) e o Test de Pfeiffer (SPMSQ) em dois momentos, o primeiro no início para a seleção da amostra (optando-se aqui só pelo MEC) e para a obtenção do estádio de deterioração de cada doente; e o segundo, passados 80 dias, ou seja, no final da aplicação do programa de reabilitação de modo a averiguar se a intervenção ajudou ou não a reabilitar as áreas cognitivas em diferentes estádios de deterioração. Nas intervenções entreviu-se em sete áreas (atenção/concentração, linguagem, orientação, memória, funções executivas, gnosias e praxias) utilizando-se três níveis de estratégias da reabilitação cognitiva (a restauração, a compensação e a substituição) e três técnicas: a técnica de terapia de orientação para a realidade; a técnica de terapia de reminiscências; e a técnica de estimulação cognitiva. A análise dos dados recolhidos permitiu verificar que a maioria dos elementos do grupo revelou um desempenho mais elevado a nível cognitivo no segundo momento de avaliação, comprovando-se assim, em 80 dias, uma diminuição do nível de deterioração em funções cognitivas e consequentemente nas suas funcionalidades. O presente estudo permitiu também reforçar a ideia de que os estudos longitudinais são importantes para perceber e explicar o processo de envelhecimento.The present study has as starting point: “Does cognitive rehabilitation in institutionalized elderly improves their performance in psychological tests of cognitive assessment?” The objective is to assess whether cognitive rehabilitation influences cognitive performance in individuals, especially in individuals with cognitive impairment. The sample consists of 15 subjects of both sexes, with a mean age of 84.13 years, which are institutionalized in geriatric residence in Salvatierra do Miño, Spain. These seniors were divided according to the level of cognitive impairment (according to the Mini-Examen cognitive (MEC)): 5 seniors with mild cognitive impairment; 5 seniors with mild cognitive impairment; and 5 with severe cognitive impairment. The scales used were the Mini-Examen cognitive (MEC) and the Test of Pfeiffer (SPMSQ) on two occasions, the first in early to sample selection (opting up here just by MEC) and to obtain the stage of decay each patient, and the second, after 80 days, ie, at the end of the implementation of the rehabilitation program in order to ascertain whether or not the intervention helped rehabilitate areas at different stages of cognitive deterioration. Interventions glimpsed in seven areas (attention/concentration, language, orientation, memory, executive functions, praxis and gnosis) using three levels of cognitive rehabilitation strategies (restoration, compensation and replacement) and three techniques: therapy technique of reality orientation; technique reminiscence therapy, and cognitive stimulation technique. The analysis of the data collected has shown that most of the elements of the group revealed a higher performance on the cognitive level second assessment, proving so in 80 days, a decrease in the level of deterioration in cognitive functions and consequently in its features. This study also reinforces the idea that longitudinal studies are important to understand and explain the process of aging.
Description: Orientação: Ângela Leite
URI: http://hdl.handle.net/10437/9494
Date: 2013


Files in this item

Files Size Format View Description
Temporario.pdf 12.34Kb PDF View/Open Dissertação de Mestrado

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account