Avaliação subjetiva do conforto térmico laboral de uma empresa angolana

DSpace/Manakin Repository

Avaliação subjetiva do conforto térmico laboral de uma empresa angolana

Show full item record

Title: Avaliação subjetiva do conforto térmico laboral de uma empresa angolana
Author: Ndembo, Maria Gabriela Cosme Diogo
Abstract: O conforto térmico é uma resposta subjetiva em que uma pessoa expressa satisfação com o ambiente térmico como resultado das trocas de calor do corpo e o meio. São diversos os fatores que contribuem para a sensação de conforto em um ambiente de trabalho. Como por exemplo: fatores ambientais, fatores fisiológicos, fatores subjetivos e a arquitetura. O nosso estudo aborda o intervalo dedicado aos ambientes térmicos moderados. A metodologia utilizada foi a adaptativa e designada por quantitativa, pesquisa realizada em situações reais do cotidiano, com pessoas a desempenhar as suas atividades em locais de trabalho onde as pessoas expressavam suas sensações e preferências térmicas de acordo com escalas favoráveis. Para identificar o conforto térmico laboral sentido pelos trabalhadores em seu ambiente de trabalho realizou-se por meio de inquéritos uma avaliação subjetiva da aclimatização do local tendo como objetivo identificar a aceitação dos trabalhadores em relação ao ambiente no escritório, usando como caso de estudo a empresa Angolana SOMG de Operação e manutenção de toda a rede de gasoduto de gás natural liquefeito da Angola LNG. A amostra foi de uma população de 50 indivíduos contida num universo de 70 trabalhadores. O estudo reforça a necessidade de melhoria na área de conforto térmico laboral em Angola. Verificou-se que o método de escalas subjetivas de avaliação (ISO 10551, 2001) é um instrumento importante na avaliação subjetiva do conforto térmico. Houve valores superiores a 60% entre os resultados do PMV e PPD obtidos através dos gráficos de Fanger com as respostas dos trabalhadores. Dos 50 trabalhadores participaram do inquérito, 19% demonstraram estar insatisfeitos e 81% de satisfeitos, conforme demonstrou o resultado do índice PPD em relação ao conforto no ambiente em que se encontravam. Foi verificado na pesquisa que existe uma relação direta entre os valores de PMV e PPD em relação a satisfação dos trabalhadores no ambiente térmico do posto de trabalho no momento em que davam as respostas ao inquérito, 68% dos trabalhadores consideram estar neutros (conforto). No geral aproxidamente 100% votos foram a favor de um ambiente do posto de trabalho aceitável.Thermal comfort is a subjective response in which a person expresses satisfaction with the thermal environment because of the heat exchanges of the body and the environment. Several factors contribute to the feeling of comfort in a work environment. As for example: environmental factors, physiological factors, subjective factors and architecture. Our study addresses the range dedicated to moderate thermal environments. The methodology used was the adaptive and designated as quantitative, research conducted in real situations of daily life, with people to perform their activities in workplaces where people expressed their sensations and thermal preferences according to favourable scales. To identify the occupational thermal comfort felt by the workers in their work environment. Was carried out through surveys a subjective evaluation of the acclimatization of the place, aiming to identify the acceptance of the workers in relation to the environment in the office, using as case study the company Angolan SOMG de Operation and maintenance of the entire liquefied natural gas pipeline network of Angola LNG. The sample was of a population of 50 individuals contained in a universe of 70 workers. The study reinforces the need for improvement in the area of thermal comfort in Angola. They are verified that the method of subjective evaluation scales (ISO 10551, 2001) is an important instrument in the subjective evaluation of thermal comfort. There were values higher than 60% between the results of PMV and PPD obtained through the Fanger charts with the workers' responses. Are taking part in the survey 50 workers, 19% were dissatisfied and 81% satisfied, as demonstrated by the PPD index in relation to comfort in the environment in which they were found. In the research, there was a direct relationship between the values of PMV and PPD in relation to the satisfaction of workers in the thermal environment of the workplace at the time they gave the answers to the survey, 68% of workers considered to be neutral (comfort). Proximately 100%
Description: Orientação: Luís Manuel Monteiro Alves
URI: http://hdl.handle.net/10437/9421
Date: 2018


Files in this item

Files Size Format View Description
Gabriela Ndembo Final.pdf 2.196Mb PDF View/Open Dissertação de Mestrado

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account