Procrastinação, autodeterminação e estratégias de coping em estudantes universitários

DSpace/Manakin Repository

Procrastinação, autodeterminação e estratégias de coping em estudantes universitários

Apresentar o registro completo

Título: Procrastinação, autodeterminação e estratégias de coping em estudantes universitários
Autor: Pereira, Janaina Fagundes Silva Morgado
Resumo: Objetivos: O objetivo desta investigação é compreender a relação entre a procrastinação académica e as estratégias de coping utilizadas, no âmbito conceptual da teoría da autodeterminação. Método: A amostra é constituída por 221 participantes, estudantes universitários com idades compreendidas entre os 18 e os 69 anos (M= 25.56; DP= 8.38). Os participantes preencheram um protocolo constituído por um questionário sociodemográfico e um conjunto de questionários para avaliar as variáveis procrastinação académica, satisfação das necessidades psicológicas básicas, autodeterminação, estratégias de coping, e ansiedade, depressão e stresse. Resultados: Os resultados confirmam que existe uma relação negativa da procrastinação académica com a autodeterminação e satisfação das necessidades psicológicas básicas; existe uma relação positiva entre coping de evitamento e procrastinação académica e existe uma relação positiva entre procrastinação académica e ansiedade, depressão e stresse. Adicionalmente, o coping proativo medeia parcialmente a relação entre necessidades psicológicas básicas e procrastinação académica. Conclusão: Na generalidade, os resultados são congruentes com a literatura e realçam a importância da satisfação das necessidades psicológicas básicas para um menor comportamento procrastinatório dos estudantes. Implicações clínicas e sugestões de intervenção nas variáveis relevantes, são apresentadas.Objectives: The objective of this research is to understand the relationship between academic procrastination and coping strategies, under the conceptual scope of the self-determination theory. Method: The sample consists of 221 participants, university students, with age ranging from 18 to 69 years old (M= 25.56; SD= 8.38). The participants filled in a protocol with a social-demographic questionnaire and several self-response questionnaires assessing the variables academic procrastination, basic psychological needs satisfaction, selfdetermination, coping strategies and amxiety, depression and stress. Results: The results confirm the existence of a negative relationship between academic procrastination and self-determination and basic psychological needs satisfaction; there is a positive relationship between avoidance coping and academic procrastination as well as a positive relationship between academic procrastination and anxiety, depression and stress. Additionally, proactive coping partially mediates the relationship between basic psychological needs and academic procrastination. Conclusion: In general, the results are consistent with the literature and they enhance the relevance of satisfying the basic phychological needs, in order to decrease the student’s procrastinatory behavior. Clinical implications and suggestions of intervening on the relevant variables, are presented.
Descrição: Orientação: Bárbara Gonzalez
URI: http://hdl.handle.net/10437/8914
Data: 2017


Arquivos neste Item

Arquivos Tamanho Formato Visualizar Descrição
tese final 14-03-2018.pdf 823.4Kb PDF Visualizar/Abrir Dissertação de Mestrado

Este Item aparece na(s) seguinte(s) Coleção(ções)

Apresentar o registro completo

Todo o Repositório


Pesquisa Avançada

Visualizar

Minha conta