Transição para a autonomia na gestão dos cuidados de saúde em adolescentes/adultos emergentes saudáveis e com condições crónicas de saúde

DSpace/Manakin Repository

Transição para a autonomia na gestão dos cuidados de saúde em adolescentes/adultos emergentes saudáveis e com condições crónicas de saúde

Apresentar o registro completo

Título: Transição para a autonomia na gestão dos cuidados de saúde em adolescentes/adultos emergentes saudáveis e com condições crónicas de saúde
Autor: Meira, Juliana Gonçalves
Resumo: A doença crónica em adolescentes implica um percurso longo e imprevisível. Para que a transição dos cuidados de saúde pediátricos para adultos seja bem sucedida, é necessário que os jovens adquiram capacidades nos domínios do autocuidado, de tomada de decisão nos cuidados de saúde e de autodefesa, que os preparará para assumirem mais responsabilidade pela sua saúde e cuidados de saúde. O objectivo deste estudo é validar a versão portuguesa do Questionário de Avaliação da Preparação para a Transição para a Autonomia nos Cuidados de Saúde (TRACS) numa população de adolescentes/adultos emergentes de ambos os sexos, saudáveis e com condições crónicas de saúde, com idades entre os 16 e 26 anos. A amostra foi constituída por 269 participantes e contemplou um grupo de controlo (jovens saudáveis) e um grupo clínico (jovens com condições crónicas de saúde). O protocolo de investigação englobou a ficha de dados sociodemográficos e clínicos e o TRACS. A estrutura factorial da versão portuguesa não correspondeu à estrutura original. O TRACS apresentou boa validade discriminante entre grupos clínicos, sexo, e grupos etários, e boa consistência interna (alfa de Cronbach = 0,85). Estes resultados sugerem que a versão portuguesa do TRACS tem propriedades psicométricas adequadas a nível de fidelidade e validade, permitindo a sua aplicação em contextos clínicos e de investigação.Chronic disease in adolescents implies a long and unpredictable course. To ensure a successful transition from pediatric health care to adult care, young people need to acquire capacities in the of self-care, decision-making in healthcare and self-defense, to be prepared to take more responsibility for their health and health care. This study aimed to validate the Portuguese version of the Transition Readiness Assessment Questionnaire (TRAQ) in a sample of adolescents/emerging adults of both sexes, between 16 and 26 years of age, healthy and with chronic health conditions. The sample was composed of 269 participants and included a control group (healthy youths) and a clinical group (youths with chronic health conditions). The assessment protocol included a sociodemographic and clinical datasheet and the TRAQ. The factorial structure of the portuguese version did not correspond to the original structure. The TRAQ presented good discriminat validity between clinical groups, sexes and age groups, as well as good reliability (Cronbach’s alfa = 0,85). These results suggest that the portuguese version of the TRAQ has good psychometric properties regarding validity and reliability, allowing its use in clinical and research contexts.
Descrição: Orientação: Bárbara Nazaré ; co-orientação: Neuza Silva
URI: http://hdl.handle.net/10437/8632
Data: 2017


Arquivos neste Item

Arquivos Tamanho Formato Visualizar Descrição
juliana -com juri.pdf 1.026Mb PDF Visualizar/Abrir Dissertação de Mestrado

Este Item aparece na(s) seguinte(s) Coleção(ções)

Apresentar o registro completo

Todo o Repositório


Pesquisa Avançada

Visualizar

Minha conta