Violadores específicos e não específicos: comparação do funcionamento sexual e psicopatologia

DSpace/Manakin Repository

Violadores específicos e não específicos: comparação do funcionamento sexual e psicopatologia

Show full item record

Title: Violadores específicos e não específicos: comparação do funcionamento sexual e psicopatologia
Author: Alvas, Liliana Sofia Ferreira
Abstract: A violência sexual tem sido retratada desde a antiguidade, fazendo parte das vivências de várias gerações e classes sociais, e sendo frequentemente encarada como um fenómeno bastante complexo, com uma multiplicidade tanto de causas como de consequências para a própria vítima. Este estudo pretendeu avaliar a existência de diferenças entre violadores não-específicos e violadores específicos. A amostra foi composta por homens condenados por violação (N=53). Um primeiro grupo composto por indivíduos com historial de outros crimes para além do crime de violação (N=33), com idades compreendidas entre os 20 e 48 (M= 32,45; DP= 7,49). Um segundo grupo composto por indivíduos que ó cometem crimes de violação, com idades compreendidas entre os 21 e 58 (M= 35,94; DP= 11,33). Os resultados demonstraram que não se verificaram efeitos principais estatisticamente significativos para os blocos de variáveis utilizadas na diferenciação dos grupos, exceto para o domínio da Psicopatologia. Neste domínio a variável da sensibilidade interpessoal esteve perto do limiar da significância estatística (p=.56), sendo que os violadores específicos apresentaram uma maior sensibilidade interpessoal. Ainda assim, olhando para os parcos resultados significativos, poderemos sugerir que estudos futuros foquem as dimensões do foro interpessoal na avaliação das características das diferentes tipologias de agressores sexuais.Sexual violence has been portrayed since antiquity, being part of the experiences of several generations and social classes, and is often seen as a very complex phenomenon, with a multiplicity of both causes and consequences for the victim. This study aimed to evaluate the existence of differences between non-specific and specific convited rapists. The sample consisted of men convicted of rape (N = 53). A first group consisted of individuals with a history of other crimes in addition to the crime of rape (N = 33), aged between 20 and 48 (M = 32.45, SD = 7.49). A second group consists of individuals who commit crimes of rape, aged between 21 and 58 (M = 35.94, SD = 11.33). The results demonstrated that there were no statistically significant main effects for the blocks of variables used in the differentiation of the groups. However, it was verified that in the field of Psychopathology, the variable of interpersonal sensitivity was close to the threshold of statistical significance (p = .56), and the specific rapists presented a higher interpersonal sensitivity. Still, looking at the meager results, we may suggest that future studies focus on the dimensions of the interpersonal forum in assessing the characteristics of the different typologies of sexual aggressors.
Description: Orientação: Joana Carvalho
URI: http://hdl.handle.net/10437/8307
Date: 2017


Files in this item

Files Size Format View
Temporario02.pdf 53.95Kb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account