4. Nas raízes do esoterismo ocidental: o laboratório grego

DSpace/Manakin Repository

4. Nas raízes do esoterismo ocidental: o laboratório grego

Apresentar o registro completo

Título: 4. Nas raízes do esoterismo ocidental: o laboratório grego
Autor: Loução, Paulo; Romero, José; Lirio, Luciano de carvalho; Lopéz, Marta; Sousa, Rogério; Gonçalves, Severina
Resumo: Como dizia Fernando Pessoa a Grécia está no extremo da Ásia, ou seja, realizou uma sínteses dos conhecimentos vindos do Oriente e do Egipto. Nas grandes culturas de Creta e de Micenas evidencia-se essa síntese que viria a inspirar o mundo clássico, onde está latente um esoterismo nas correntes órficas, pitagóricas e platónicas.
Descrição: Como dizia Fernando Pessoa a Grécia está no extremo da Ásia, ou seja, realizou uma sínteses dos conhecimentos vindos do Oriente e do Egipto. Nas grandes culturas de Creta e de Micenas evidencia-se essa síntese que viria a inspirar o mundo clássico, onde está latente um esoterismo nas correntes órficas, pitagóricas e platónicas. Em Samotrácia vamos encontrar os mistérios dos Grandes Deuses, onde segundo a tradição foi iniciado Eneias e concebido Alexandre Magno. E o helenista Karl Kerényi destacou os mistérios de Elêusis como centro invisível da cultura grega. A esses mistérios Platão alude por diversas vezes, que terão sido talvez fonte das suas doutrinas não escritas (agrapha dogmata) sobre as quais a escola de Tübingen-Milão se tem debruçado. Este esoterismo platónico que segue a linha do mythos, para além do logos, revive no neoplatonismo de Alexandria e vem a sintetizar-se com a teurgia dos Oráculos Caldeus através de Jâmblico. Algo que se descortina claramente no Livro IV da Teologia Platónica de Proclo. Proclo que iria influenciar decisivamente o cristianismo através da obra de Pseudo-Dioniso o Aeropagita. Mas estas confrariras neoplatónicas seguiam também a inspiração órfica e a tradição pitagórica. E esta tradição com vertente esotérica na área da matemática e geometria simbólicas, talvez de inspiração egípcia, poderá ser anterior ao próprio Pitágoras se dermos crédito aos trabalhos aturados de Theofanis Manias sobre arquitectura sagrada, que demonstram a existência de uma cabala grega. Temos assim que platonismo, pitagorismo, mistérios e teurgia são palavras-chave de acesso ao esoterismo grego que procuraremos perscrutar.  
URI: http://hdl.handle.net/10437/7632
Data: 2017-01-16


Arquivos neste Item

Arquivos Tamanho Formato Visualizar
Ata final.pdf 1.582Mb PDF Visualizar/Abrir

Este Item aparece na(s) seguinte(s) Coleção(ções)

Apresentar o registro completo

Todo o Repositório


Pesquisa Avançada

Visualizar

Minha conta