Doenças estomatológicas do gato diagnosticadas por histopatologia: estudo retrospetivo de 6 anos

DSpace/Manakin Repository

Doenças estomatológicas do gato diagnosticadas por histopatologia: estudo retrospetivo de 6 anos

Show full item record

Title: Doenças estomatológicas do gato diagnosticadas por histopatologia: estudo retrospetivo de 6 anos
Author: Falcão, Filipa Romão de Bastos
Abstract: As lesões estomatológicas são frequentes no gato. Estas podem ser divididas, de acordo com a sua natureza, em doenças inflamatórias e doenças neoplásicas. A caracterização exata destas afeções deve basear-se no seu exame histopatológico. O presente trabalho teve como principal objetivo determinar a frequência das doenças estomatológicas em gatos. Nesse sentido, foi realizado um estudo retrospetivo a partir dos relatórios de exames histopatológicos realizados nos laboratórios de Investigação Científica e Análises Moleculares (DNAtech, Lisboa) nos anos de 2010 a 2015. As variáveis recolhidas incluíram a raça, o sexo e a idade dos gatos, a localização das lesões na cavidade oral, a técnica de recolha utilizada, a natureza das lesões (inflamatória ou neoplásica) e o diagnóstico definitivo obtido. De um total de 297 exames de lesões da cavidade oral, encontraram-se 186 lesões inflamatórias (62,6%) e 111 (37,4%) lesões neoplásicas, das quais 81,1% eram malignas. As lesões estudadas foram mais frequentes em gatos do sexo masculino (173, 58,4%) e com idades entre os 7 e os 10 anos (88, 33,0%). Com o avançar da idade, observou-se um aumento das doenças neoplásicas e, pelo contrário, o diagnóstico de doenças inflamatórias diminuiu. As neoplasias benignas ocorreram tendencialmente em gatos mais jovens comparativamente com as neoplasias malignas. Relativamente à raça, predominaram os indivíduos de raça Europeu Comum (206, 73,6%), seguindo-se os de raça Persa (32, 11,4%) e de raça Siamesa (21, 7,5%), de entre um total de 9 raças puras observadas. A gengiva foi a localização anatómica mais afetada pelas lesões estomatológicas com 127 casos (43,1%), seguindo-se a mucosa oral e os lábios. A biópsia incisional foi a técnica de recolha selecionada para a obtenção de 256 (86,2%) amostras, tendo 36 (12,1%) sido recolhidas por biópsia excisional e 5 (1,7%) com recurso a punch. De entre o total de diagnósticos histológicos registados, destacou-se o complexo gengivite-estomatite-faringite felino (115, 39,0%), o carcinoma espinocelular (49, 16,5%) e o complexo eosinofílico (34, 11,4%). Este estudo permitiu contribuir para o conhecimento mais aprofundado da epidemiologia das doenças da cavidade oral do gato em Portugal.     Oral lesions are common in the cat. They can be divided into two kind of diseases: inflammatory and neoplastic. The exact characterization of these affections depends on a histopathology exam of these lesions. This study aimed at determining the frequency of oral diseases in cats. For that purpose, a retrospective study was performed using the histopathologic reports of exams made at DNAtech (Lisbon) during the years 2010 to 2015. The studied parameters included breed, sex and age of the cats, the localization of lesions in the oral cavity, the biopsy collection technique used, the type of lesions (inflammatory or neoplastic) and the definitive diagnosis obtained. Among a total of 297 examinations of the oral cavity lesions, 186 were inflammatory lesions (62.6%) and 111 were neoplastic (36.4%), of these 81.1% were malignant. Oral lesions were more common in male cats (173, 58.4%), and in 7 to 10 years old animals (88, 33.0%). With advancing age, there was an increase in neoplastic diseases and, on the opposite, inflammatory lesions decreased. Benign tumors tended to occur in younger cats when compared with malignant tumors that occur more often in older cats. Regarding breed, the European Shorthair was predominant (206, 73.6%), followed by Persian cats (32, 11.4%) and Siamese cats (21, 7.5%), from a total of 9 purebreds observed. Gingiva was the most affected site of oral lesions with 127 cases (43.1%) followed by the oral mucosa and lips. Incisional biopsy technique was selected to obtain 256 (86.2%) samples, while 36 (12.1%) were collected by excisional biopsy and 5 (1.7%) by using punch. Feline chronic gingivitis-stomatitis was the most prevalent histological diagnosis (115, 39.0%), followed by squamous cell carcinoma (49, 16.5%) and the eosinophilic complex (34, 11.4%). This study allowed to contribute to the further understanding of the epidemiology of oral diseases of cats in Portugal.
Description: Orientação: João Filipe Requicha; co-orientação: Joana Oliveira
URI: http://hdl.handle.net/10437/7451
Date: 2016


Files in this item

Files Size Format View Description
DissertaçãoFFalcãoPDF.pdf 1.665Mb PDF View/Open Dissertação de Mestrado

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account