Publicidade VS indicação farmacêutica: fatores influenciadores da decisão de compra de medicamentos não sujeitos a receita médica

DSpace/Manakin Repository

Publicidade VS indicação farmacêutica: fatores influenciadores da decisão de compra de medicamentos não sujeitos a receita médica

Show full item record

Title: Publicidade VS indicação farmacêutica: fatores influenciadores da decisão de compra de medicamentos não sujeitos a receita médica
Author: Bastos, Carolina Maria da Silva
Abstract: Introdução: Considerando que a automedicação é hoje uma prática inquestionável, é importante ter em conta que nenhum medicamento é inócuo e que o seu uso incorreto encerra um potencial de risco. Nesta medida, os profissionais de saúde vêem-se confrontados com novos desafios, não só pela constante preocupação relativa à segurança da automedicação, principalmente quando não mediada por um profissional, mas também pelo facto de o consumidor estar hoje mais recetivo e interessado na informação sobre a sua saúde. Objetivo: Avaliar como é sentido hoje o ciclo da comunicação pelos consumidores, ou seja, a quem recorrem quando estão doentes e qual o papel dos diferentes meios de publicidade (TV, Rádio, Net, Jornais/revistas) e dos profissionais para a decisão terapêutica. Neste estudo pretendeu-se, ainda, avaliar qual das vertentes é decisiva para a escolha feita pelos utentes, se a comunicação comercial se a indicação técnica. Uma vez que, desde 2005, a venda de MNSRM não é exclusiva das farmácias e acrescendo o facto de os MNSRM poderem ser publicitados diretamente ao consumidor, torna-se necessário estudar os fatores influenciadores da decisão de compra deste tipo de produtos. Conhecendo-se a influência da publicidade na decisão de compra nos mais variados produtos do quotidiano, importa perceber se essa influência se verifica da mesma forma quando falamos de um produto tão específico como o MNSRM. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, ou seja, procurou-se descrever situações de mercado a partir de dados primários e teve como base uma amostra constituída por 101 indivíduos. A recolha de dados, feita com recurso à aplicação de questionários, decorreu de julho a setembro de 2014. Resultados: 73% dos inquiridos responde que compra habitualmente MNSRM, contudo, 69% dos inquiridos afirma adquirir este tipo de medicamentos menos de uma vez por mês. No que respeita aos fatores que influenciam na decisão de compra de MNSRM, verificou-se que 61% dos inquiridos compra o que o farmacêutico lhes aconselha, 83% compra porque o médico já aconselhou anteriormente. 54% dos inquiridos diz não ser influenciado pela opinião da família e amigos. Verifica-se que a publicidade tem pouca influência na decisão de compra (95% dos inquiridos afirma mesmo que a publicidade não é determinante na sua decisão de compra de MNSRM). Mais de 50% dos inquiridos afirma preferir aconselhar-se com o farmacêutico, tanto sobre os produtos que vê publicitados, como sobre o seu problema e alternativas para tratamento ou prevenção. 42% afirma que recorre ao farmacêutico antes de se dirigir ao médico ou hospital. Verificou-se, ainda, que a maioria dos inquiridos (98%) escolhe comprar na farmácia em detrimento dos locais de venda de MNSRM. Conclusão: Este estudo mostra que o consumidor não é tão influenciado pela publicidade como seria expectável e que reconhece o farmacêutico como especialista do medicamento, recorrendo a ele, muitas vezes, antes mesmo de se dirigir ao médico ou a um hospital. O estudo mostra, ainda, que a indicação farmacêutica é um dos fatores determinantes para a decisão de compra de um MNSRM.Introduction: considering that self-medication is now an unquestioned practice, it is important to note that no medication is innocuous and their incorrect use has potential risks. In this extent, the health professionals faced new challenges, not only by the constant concern about safety of self-medication, especially when not mediated by a professional, but also by the fact that consumer is now mor