Auto-estima,auto-eficácia e empregabilidade subjectiva em empregados, desempregados e estudantes do ensino superior

DSpace/Manakin Repository

Auto-estima,auto-eficácia e empregabilidade subjectiva em empregados, desempregados e estudantes do ensino superior

Show full item record

Title: Auto-estima,auto-eficácia e empregabilidade subjectiva em empregados, desempregados e estudantes do ensino superior
Author: Gomes, Nuno Alexandre dos Santos
Abstract: Este estudo tinha como objectivo principal compreender a relação entre a auto-estima, a auto-eficácia (duas dimensões importantes do auto-conceito), e a empregabilidade subjectiva. A amostra foi constituída por 188 pessoas, 80 homens e 108 mulheres, com idades entre os 18 e os 67 anos, que responderam a um inquérito com versões portuguesas de escalas de Auto-Eficácia Geral (Araújo & Moura, 2011), Auto-Estima Global (Santos & Maia, 2003), e Auto-Eficácia na Transição para o Trabalho (Vieira & Coimbra, 2005). Os resultados demonstraram que as três variáveis estão significativamente, moderadamente e positivamente correlacionadas entre si. Surpreendentemente, a auto-estima é a principal preditora da empregabilidade subjectiva, e este efeito da auto-estima não é mediado pela auto-eficácia. Como esperado, os empregados reportam níveis mais elevados destas três variáveis que os desempregados, mas não há efeito de género sobre estas variáveis, e o nível de qualificação também não tem um efeito directo sobre as variáveis.The main aim of this study was to understand the relations between self-esteem, self-efficacy (two important dimensions of the self-concept), and subjective employability. The sample was consisted by 188 people, 80 men and 108 women, aged between 18 and 67, that answered a survey with Portuguese versions scales of General Self-Efficacy (Araújo & Moura, 2011), Global Self-Esteem (Santos & Maia, 2003), e Self-Efficacy on Transition to Work (Vieira & Coimbra, 2005). Results show that these three variables were significantly, positively and moderately correlated. Surprisingly, self-esteem was the strongest predictor of subjective employability, and this effect is not mediated by self-efficacy. As expected, the employed reported higher levels of these three variables than the unemployed. However, there were no effects of gender and no direct effects of level of qualification.
Description: Orientação: Rodrigo Brito
URI: http://hdl.handle.net/10437/5745
Date: 2014


Files in this item

Files Size Format View Description
TESE DE MESTRADO VERSÃO FINAL.pdf 633.5Kb PDF View/Open Dissertação de Mestrado

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account