Imagens que valem mil palavras: a experiência do arquivo de memórias do Museu de São Brás

DSpace/Manakin Repository

Imagens que valem mil palavras: a experiência do arquivo de memórias do Museu de São Brás

Show simple item record

dc.contributor.author Sancho Querol, M. Lorena
dc.date.accessioned 2014-08-27T14:49:40Z
dc.date.available 2014-08-27T14:49:40Z
dc.date.issued 2014
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/10437/5442
dc.description.abstract Nos países do sul da Europa as políticas de ajustamento socioeconómico que se vêm aplicando estão a traduzir-se num enfraquecimento progressivo da acção museal nas suas diversas formas. Questionados no âmbito dum processo de transformação que envolve uma profunda alteração dos modelos de gestão e dos valores vigentes, os museus procuram agora uma Museologia Sustentável. Neste contexto emergem novas fórmulas museológicas que associam a sustentabilidade à criatividade social e à valorização da diversidade. Este é o caso do Museu do Trajo em São Brás de Alportel (MuT), no Algarve, e da sua “Museologia em camadas”. Um modelo que assenta na gestão partilhada, tomando como ponto de partida o conhecimento profundo do território, a construção colectiva de sentidos culturais, e a resignificação de saberes ancestrais com o objectivo de contribuir para um desenvolvimento equitativo. Neste artigo apresentamos a estrutura, o método e os resultados de um dos seus projectos de referência: Fotografia, Memória e Identidade (FMId). Cruzando a investigação colaborativa com a cartografia de sentidos associados às fotografias de cada família, FMId baseia-se no exercício regular de uma arqueologia memorial que desemboca na descodificação de diversos segmentos da cultura local. As suas ressonâncias deixam marca nos restantes processos e funções museológicas, mas também em cada uma das famílias envolvidas no projecto, que agora possui uma conta corrente da memória no Museu da sua terra. pt
dc.description.abstract In the countries of southern Europe, the economic adjustment policies being applied are causing a progressive weakening of the museological action in its various forms. Questioned within the transformation process involving a profound change of the management models and of the prevailing values, museums seek a Sustainable Museology. In this context, new museological formulas emerge associating sustainability to social creativity and to valorization of diversity. This is the case of the Costume Museum in São Brás de Alportel (MuT), in the Algarve, and its "Museology on layers". A model based on shared management, taking as its starting point a deep knowledge of the territory, the collective construction of senses and local cultural meanings, and the reframing of ancestral knowledge, with the objective of contributing to an equitable development. In this paper we present the structure, the method and the results of one of the reference projects: Photography, memory and identity (FMId). In this case, a contrastive analysis between the collaborative research and the cartography of meanings associated with pictures of each family is performed. This exercise of memorial archaeology leads to decoding diverse segments of local culture. Its resonances reach every one of the museological functions and processes of MuT, but also each of the families involved in the project, have now a current account of memory in their hometown Museum. en
dc.format application/pdf
dc.language.iso por pt
dc.publisher Edições Universitárias Lusófonas pt
dc.rights openAccess
dc.subject MUSEOLOGIA pt
dc.subject FOTOGRAFIA pt
dc.subject CARTOGRAFIA pt
dc.subject MUSEOLOGY en
dc.subject PHOTOGRAPHY en
dc.subject CARTOGRAPHY en
dc.title Imagens que valem mil palavras: a experiência do arquivo de memórias do Museu de São Brás pt
dc.type article pt


Files in this item

Files Size Format View Description
Imagens que valem.pdf 1.265Mb PDF View/Open Artigo

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account