Toxocarose : um problema para a saúde Humana nas zonas urbanas

DSpace/Manakin Repository

Toxocarose : um problema para a saúde Humana nas zonas urbanas

Show simple item record

dc.contributor.advisor Ângelo, Helena, orient.
dc.contributor.author Santos, Daniela Filipa César dos
dc.date.accessioned 2013-02-06T15:27:11Z
dc.date.available 2013-02-06T15:27:11Z
dc.date.issued 2012
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/10437/3076
dc.description Orientação : Helena Ângelo pt
dc.description.abstract A toxocarose é uma das infestações parasitárias provocadas por helmintas, mais frequentes no Mundo. É uma zoonose com prevalência mais elevada na população pediátrica causada por um nemátodo intestinal do género Toxocara. As espécies mais frequentes são Toxocara canis (T. canis) e Toxocara cati (T. cati). Em 1950, Wilder descreveu clinicamente a infestação por Toxocara sp. através da identificação deste num granuloma localizado na retina de uma criança (Castelo, Dinis & Rocha, 2008; Humbert, Buchet & Barde, 1995). Esta parasitose tem três apresentações clínicas caracterizadas conforme a gravidade do quadro: larva migrans visceral (LMV), larva migrans ocular (LMO) ou formas subclínicas ou assintomáticas (Castelo, Dinis & Rocha, 2008; Humbert, Buchet & Barde, 1995). O diagnóstico de toxocarose baseia-se em métodos imunológicos sensíveis, como é o caso da técnica ELISA ou western-blot, em que são usados antigénios excretóriossecretórios do género Toxocara. Foi sensivelmente há duas décadas que a disponibilidade de testes imunológicos específicos e sensíveis utilizados para diagnóstico da toxocarose melhorou o conhecimento sobre esta parasitose. É por este motivo que se pode afirmar que esta zoonose apresenta seroprevalência mais elevada em países desenvolvidos industrializados e também em algumas ilhas tropicais (Magnaval et al., 2001). De acordo com o quadro clínico apresentado é instituída a terapêutica ainda que não exista consenso quanto à melhor terapêutica a instituir em cada situação e quando se deve iniciar o tratamento em casos assintomáticos (Castelo; Dinis; Rocha, 2008). A prevenção é necessária para evitar possíveis recontaminações, como por exemplo, desparasitar os animais de estimação e educar as pessoas sobre questões sanitárias (Magnaval et al., 2001; Humbert, Buchet & Barde, 1995). No presente trabalho pretende-se estudar a toxocarose caracterizando o parasita e o seu ciclo de vida, identificar a principal via transmissão desta zoonose, quais as espécies envolvidas na transmissão da toxocarose aos humanos e o principal grupo de risco. Pretende-se também, com base em dados bibliográficos, conhecer a prevalência da toxocarose nas zonas urbanas, assim como os fatores que permitem o desenvolvimento do parasita. É também objetivo deste trabalho conhecer as medidas implementadas em Portugal, principalmente na zona urbana de Lisboa, para prevenção e controlo da toxocarose e de que forma os profissionais de saúde (p.e. médicos veterinários e farmacêuticos) contribuem para a prevenção e controlo da toxocarose. pt
dc.format application/pdf
dc.language.iso por pt
dc.rights openAccess
dc.subject INFEÇÕES pt
dc.subject PARASITOLOGIA pt
dc.subject MESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS pt
dc.subject INFECTIONS en
dc.subject PARASITOLOGY en
dc.subject MEIO URBANO pt
dc.subject URBAN ENVIRONMENT en
dc.subject CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS pt
dc.subject PHARMACEUTICAL SCIENCES en
dc.subject TOXOCARÍASE pt
dc.subject TOXOCARIASIS en
dc.title Toxocarose : um problema para a saúde Humana nas zonas urbanas pt
dc.type masterThesis pt


Files in this item

Files Size Format View
Dissertação_Daniela_Santos.pdf 1.077Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account