Relação entre a imagem corporal e a toma de substâncias ergogénicas nutricionais

DSpace/Manakin Repository

Relação entre a imagem corporal e a toma de substâncias ergogénicas nutricionais

Show simple item record

dc.contributor.advisor Palmeira, António Labisa, orient.
dc.contributor.author Martins, Joana Estevão João Oliveira
dc.date.accessioned 2012-07-09T09:39:28Z
dc.date.available 2012
dc.date.issued 2011
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/10437/2746
dc.description Orientador : António Labisa Palmeira pt
dc.description.abstract Este estudo teve como objectivo analisar a associação entre a utilização de substancias ergogénicas nutricionais, a dependência do exercício e a imagem corporal em praticantes de exercício em contextos de Fitness. Um total de 300 indivíduos, 185 homens e 115 mulheres, participaram neste estudo transversal e responderam a questionários constituídos pela Escala de Dependência do Exercício (EDE-21), Inventario de Perturbacões Alimentares (EDI-2), Drive for Muscularity Scale (DMS), Social Physique Anxiety Scale (SPAS) e Teoria do Comportamento Planeado para a toma de substâncias ergogénicas nutricionais (TCP). Para analise de comparação utilizou-se o teste t, que revelou que as mulheres são mais insatisfeitas com a imagem do corpo (p=.022) e apresentam maior ansiedade física social (p<.001) e predisposição para a toma de substâncias ergogénicas nutricionais (p<.001) A toma de substancias ergogénicas nutricionais foi explicada pelo IMC e a percepção de controlo do comportamento. Os homens são mais perfeccionistas (p<.OOl) e recorrem mais à toma de substâncias (p<.OOl), sendo esta explicada pela intenção e dependência do exercício.Verificou-se que a motiva<;ao para a magreza se relaciona com a frequência do exercício (p=.027) e que a dismorfia muscular se relaciona com dependência do exercício (p<.OOl), frequência(p<.OOl), volume (p=.18), intensidade (p=.048) e predisposição para a toma de substâncias ergogénicas (todos p<.05). Mulheres com maior ansiedade física social apresentaram menor predisposição para a toma de substancias e por ultimo, níveis de IMC mais baixos, tanto em homens quanto em mulheres, relacionaram-se com maior toma reportada de suplementos (todos p<.05). Os resultados enfatizam a importância de futuras intervenções, com foco em estratégias de mediação sobre os distúrbios de imagem corporal, focando principalmente os aspectos negativos a ela associados. pt
dc.format application/pdf
dc.language.iso por pt
dc.rights openAccess
dc.subject DESPORTO pt
dc.subject IMAGEM CORPORAL pt
dc.subject ALIMENTAÇÃO pt
dc.subject BODY IMAGE en
dc.subject FEEDING en
dc.subject MESTRADO EM ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ENS. BÁSICO E SECUNDÁRIO pt
dc.subject SPORT en
dc.subject EDUCAÇÃO FÍSICA pt
dc.subject PHYSICAL EDUCATION en
dc.subject DISTÚRBIOS ALIMENTARES pt
dc.subject EATING DISORDERS en
dc.title Relação entre a imagem corporal e a toma de substâncias ergogénicas nutricionais pt
dc.type masterThesis pt


Files in this item

Files Size Format View
joana martins.pdf 189.2Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account